Conheça As Melhores Combinações de Fontes para seus Projetos

7 minutos para ler

Se você chegou até este post enquanto pesquisava sobre como usar variedades de combinações de fontes, certamente deve ser um profissional que prioriza a qualidade e a inovação em seus trabalhos, não é verdade?

De fato, a escolha das fontes é um dos pontos mais importantes da identidade visual de qualquer estratégia ou ação de marketing, visto que elas têm o papel de facilitar a comunicação e o entendimento por parte do leitor. Para isso, alguns parâmetros — como legibilidade e escaneabilidade — precisam ser respeitados.

Quer entender mais sobre como usar combinações de fontes capazes de criar a personalidade de sua marca e consolidar a identidade visual do negócio? Então, continue a leitura deste conteúdo especial para conferir uma série de dicas úteis!

foto: profissionais criando logotipos, realizando a escolha e combinações de fontes e cores no computador...
Foto: Criação de Logos e escolha de cores e combinações de fontes

Quais são os principais tipos de fontes?

Veja a seguir as categorias mais usadas por profissionais da área na hora de desenvolver infográficos, materiais impressos, conteúdos digitais para social media e muitas outras modalidades de projetos nos quais o design é fundamental.

Serif

Conhecidas por sua elegância e profissionalismo, as Serifs são belas e estilosas e atendem aos mais diversos perfis e necessidades. Funcionam perfeitamente em mídia impressa, marcas corporativas e uma infinidade de modalidades de fontes. Se você deseja criar um belo logotipo para uma empresa, as Serifs são uma ótima recomendação.

Script

Muito usadas para dar sensibilidade ao visual do projeto, as fontes Script ou cursivas, como também são conhecidas, proporcionam uma aparência caligráfica ou manuscrita em diferentes estilos.

Podem ser usadas em design de camisetas, logotipos de marcas, cabeçalhos e qualquer projeto que abra uma margem para se trabalhar de forma mais descontraída, mas sem abrir mão da elegância.

Sans-Serif

Frequentemente utilizadas em anúncios, títulos ou textos que serão visualizados no monitor, as fontes não-serifadas transmitem leveza, organização e clareza ao projeto, visto que seu potencial de chamar atenção está atrelado a cada palavra em si, e não no corpo do texto como um todo.

Decorative

Como consta no próprio nome, essas fontes são mais utilizadas em projetos divertidos, já que são ótimas para exibição. Se o profissional souber muito bem o que está fazendo, elas podem dar um toque final de muito bom gosto à identidade visual. Mas, geralmente, recomenda-se que sejam usadas com moderação.

Quais ferramentas usar para trabalhar com fontes?

Agora que você já sabe quais são as principais categorias de fontes, é importante conhecer algumas ferramentas úteis que todo designer pode usar para aprimorar seu trabalho e destacá-lo.

Wordmark

Se você precisa de agilidade, mas preza pela inovação e criatividade, o Wordmark é a ferramenta ideal, pois mostra todas as fontes que estão instaladas em seu computador de forma simples e intuitiva. Basta digitar um texto e o programa mostrará como ficará o visual da fonte em tempo real.

Dica extra: se você instalar a extensão do Chrome, ele não se limitará apenas às fontes do sistema.

Prototypo

Se criatividade é sua palavra-chave, então o Prototypo servirá às suas necessidades. A ferramenta conta com recursos de criação de fontes que ajudam bastante quando você sequer sabe por onde começar. A melhor parte: é totalmente gratuita.

WhatTheFont

Precisa encontrar uma fonte para um projeto muito específico e não aguenta mais “quebrar a cabeça” procurando? O WhatTheFont é famoso por salvar em momentos como esse.

Basta pegar uma imagem de uma arte na qual a fonte que você quer está inserida e enviá-la. A partir disso, o programa identificará os detalhes e mostrará o nome da fonte em questão.

Como trabalhar as variedades de combinações de fontes?

Depois de conhecer os principais tipos de fontes e ferramentas muito eficientes para trabalhar a identidade visual escrita de seus projetos, mostraremos algumas ideias interessantes sobre como trabalhar as variedades de combinações de fontes para impactar o leitor de forma positiva.

Leve em consideração sobre o que se trata seu conteúdo para realizar a combinações de fontes

Embora o designer gráfico tenha uma grande margem para trabalhar com a criatividade, é muito importante que alguns parâmetros sejam respeitados para que as artes não fujam da proposta inicial e do perfil do projeto em questão.

Dito isso, considere os seguintes aspectos:

  • utilize fontes o mais minimalistas possível e que foquem na legibilidade e escaneabilidade, para conteúdos com o objetivo de informar, educar ou simplificar — cartazes de treinamento, relatórios, infográficos etc.;
  • utilize fontes envolventes, inspiradoras, estilosas e que entretenham em projetos com maior liberdade criativa — marketing para social media, folhetos promocionais, entre outros.

Atenção ao tamanho e à estrutura do texto

Fontes para conteúdos com formato longo (como bullet points e parágrafos) precisam ser totalmente escaneáveis, visto que elas “competirão” pela atenção com outros elementos gráficos em espaços pequenos.

Destaque pontos importantes por meio de subtítulos (H2, H3, H4 etc.) com fontes estilizadas e exclusivas, mas sempre tendo bom senso e respeitando um dos mandamentos mais importantes do design gráfico, que é o tradicional “menos é mais”.

Palavras-chave e outros termos relevantes devem manter o mesmo estilo do restante do texto, mas, se quiser destacá-las, limite-se ao negrito. É muito importante que, quando o leitor “bater os olhos” no texto, não se depare com uma “salada” de elementos gráficos que não têm harmonia entre si. Caso contrário, ele nem se dará ao trabalho de começar a ler — e todo o seu esforço terá sido em vão.

Considere o meio e o local no qual a combinação de fontes será recebida

O formato da mídia na qual o projeto se desenvolverá é um dos principais critérios que devem ser levados em consideração. Entre algumas dicas úteis sobre isso, podemos citar:

  • no caso de apresentações e pôsteres, use fontes “grandes” e mantenha distâncias maiores entre elas a fim de garantir que o texto seja legível e escaneável aos olhos;
  • em materiais gráficos impressos, é importante que o texto seja legível a pelo menos um braço de distância. Portanto, utilize pelo menos 10 pt de tamanho;
  • para artes que serão visualizadas na tela de um computador ou dispositivo móvel, é preciso usar pelo menos 14 pt (ou mais) de tamanho.

Consideração Final

Para concluirmos, é importante ressaltar, mais uma vez, que as variedades de combinação de fontes com as quais o designer pode trabalhar são ilimitadas, e realizar um projeto inovador é apenas uma questão de empenho, estudo e criatividade. Contudo, o bom senso sempre deve ser o principal fator pelo qual esse profissional deve se guiar.

Este artigo sobre como usar as combinações de fontes para impactar o leitor em suas artes foi útil? Então é muito provável que você também se interesse pelo nosso post sobre a importância da identidade visual para todas as áreas do negócio!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

15585

Participe da Newsletter da 2dcb

Tenha acesso a dicas e estratégias
especiais diretamente no seu email

15856

Para saber mais sobre a

 

Fechar

Visite nosso site: